Barragem de hidrelétrica se rompe no rio Arinos e forçam ribeirinhos a sair de suas casas

Três PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas) romperam em São José do Rio Claro (320 km de Cuiabá) no fim da noite deste domingo (4). A quebra de barreiras ocorreu em sequência e a água fez subir o nível do rio Arinos, forçando ribeirinhos a sair de suas casas

Por araguaianews em fevereiro 6, 2018

Barragem de hidrelétrica se rompe no rio Arinos e forçam ribeirinhos a sair de suas casas

O fato causou pânico nos moradores, que gravaram vídeos minutos após a barragem estourar.

Três PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas) romperam em São José do Rio Claro (320 km de Cuiabá) no fim da noite deste domingo (4). A quebra de barreiras ocorreu em sequência e a água fez subir o nível do rio Arinos, forçando ribeirinhos a sair de suas casas.

Conforme o sargento da Defesa Civil, Wagner Rosa Soares, a primeira barreira a romper foi na fazenda Agromar, propriedade do Grupo Bom Futuro, no fim da noite de ontem. O volume de água levou à quebra de barreiras nas fazendas Álcool Libra e Esplanada.

“Não temos informação precisa da hora que ocorreu o rompimento, mas sabemos que foi entre a noite de ontem e a madrugada. Três pequenas hidrelétricas estouraram a barreira em um mesmo rio. Depois da primeira, as outras duas foram derrubadas com a força da água”, disse.

A Defesa Civil ainda não tem informações sobre prováveis impactos dos rompimentos no meio ambiente ou em regiões com habitantes. Dois servidores do órgão – uma engenheira e um assistente de operações – viajam nesta terça (6) para a cidade para averiguar a situação e fazer levantamentos.

O prefeito de São José do Rio Claro, Valdomiro Lachovicz, disse que o Grupo Bom Futuro não informou sobre a quebra de barreiras e nem pediu auxílio. “O rio Arinos virou um mar, mas não atingiu a cidade, pois aconteceu na zona rural, a uns 40 quilômetros do centro. Sabemos que alguns ribeirinhos estão saindo de casa por causa do aumento do nível da água, mas não fomos comunicados de riscos mais danosos”.

O prefeito disse ainda que técnico responsável pela área de meio ambiente viajou para a região das barreiras na tarde de hoje para checar a situação. Não há, por enquanto, informação sobre danos ambientais ou sociais.

Conforme dados do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), São José do Rio Claro está na faixa de área de alerta em Mato Grosso com previsão de grande quantidade de chuvas, que poderiam começar a cair há 12 horas. A faixa de classificação de risco é laranja, intermediária entre amarela e vermelha.

Em aviso público no fim da manhã, o Instituto informa que há previsão de mais chuvas e risco de alagamentos, deslizamentos de encostas, transbordamentos de rios, em cidades com tais áreas de risco.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *