Retorno de Valtenir ao MDB provoca reviravolta e Mauro avalia ficar no PSB para disputar o governo 

Mauro está praticamente acertado com o DEM, sigla que abrigou aliados seus como os deputados federais Fabio Garcia e Adilton Sachetti e poderá receber em breve o presidente da Assembleia Eduardo Botelho

Por araguaianews em fevereiro 7, 2018

Retorno de Valtenir ao MDB provoca reviravolta e Mauro avalia ficar no PSB para disputar o governo

partidoA iminente saída do deputado federal Valtenir Pereira do PSB para retornar ao MDB, noticiada com exclusividade pelo nesta terça (6), pode provocar uma verdadeira reviravolta no cenário político de Mato Grosso. Desafeto do parlamentar, o ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes começou a avaliar a possibilidade de permanecer na sigla socialista para concorrer a governador nas eleições de outubro.

Mauro está praticamente acertado com o DEM, sigla que abrigou aliados seus como os deputados federais Fabio Garcia e Adilton Sachetti e poderá receber em breve o presidente da Assembleia Eduardo Botelho. Os três parlamentares deixaram o PSB contrariados com a presença de Valtenir. No entanto, apurou que o ex-prefeito decidiu reavaliar a conveniência de mudar de partido agora que o desafeto está de saída.

Mauro Mendes

 Possível saída de Valtenir, faz Mauro Mendes reavaliar se permanece no PSB para disputar governo contra Taques

Cada vez mais, Mauro dá sinais de que pretende enfrentar o governador Pedro Taques (PSDB) nas urnas na condição de adversário. Além de não participar da feijoada que Taques ofereceu aos aliados do PSD, DEM e os que ainda estão no PSB para começar a formatação da chapa majoritária situacionista, com objetivo de viabilizar a própria reeleição, o ex-prefeito ainda fez aparição pública junto ao sucessor Emanuel Pinheiro (MDB), durante a inauguração de unidade escolar, na noite dessa segunda (5).

Embora evite comentar o assunto, Mauro tem sido encorajado por lideranças políticas descontentes com Taques a encarar a disputa pelo Governo do Estado. Um dos entusiastas é o ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP), considerado “fiel da balança” na definição de chapas.

Já Valtenir negocia o retorno ao MDB com o Palácio do Planalto, que corre para angariar 308 votos favoráveis à reforma da Previdência e pretende contabilizar o deputado de Mato Grosso entre os aliados, já que o PSB fechou questão contra. A articulação tem a bênção do presidente estadual da sigla, deputado federal Carlos Bezerra.

Outro fator que leva Valtenir de volta para o MDB são acordos que estão sendo costurados pela direção nacional do PSB para as eleições de outubro. Ocorre que o vice-governador de São Paulo Márcio França (PSB) pretende concorrer à sucessão de Geraldo Alckmin (PSDB) com apoio dos tucanos em cumprimento ao acordo que teria sido firmado ainda em 2014.

O PSDB estaria condicionando o apoio a Márcio França à recíproca em alguns estados, o que incluiria Mato Grosso. Opositor de Taques, Valtenir também estaria cogitando retornar ao partido do qual saiu recentemente, justamente para não ser obrigado a dividir palanque com o tucano, que certamente vai à reeleição.

Se o retorno ao MDB se concretizar, a possibilidade de Valtenir e Mauro se aliarem mais adiante não está descartada. Os emedebistas, hoje sem nomes viáveis ao Palácio Paiaguás, aceitariam apoiá-lo como candidato oposicionista no PSB ou outra sigla fora da base de Taques.

Caso a possibilidade de deixar a sigla socialista se concretize, será a sétima troca de partido de Valtenir. O parlamentar passou pelo PT, PSB, Pros, PMB, MDB e retornou ao PSB.

Valtenir nega qualquer movimentação de deixar a legenda socialista. Entretanto, preferiu não desmentir a informação divulgada por em primeira mão.

Dois políticos descontentes com os respectivos partidos foram sondados para substituir Valtenir na presidência estadual do PSB. São eles, o deputado estadual Allan Kardec (PT) e o ex-prefeito de Rondonópolis Percival Muniz (PPS).

Nos bastidores, Valtenir atua para emplacar um integrante do seu grupo político, sem mandato eletivo, no comando partidário para manter a influência. A articulação acabará frustrada se Mauro permanecer no PSB.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *