Chineses estudam construir ferrovia no Araguaia

O diretor-executivo da gigante China Communications Construction Company (CCCC), Lin Li foi recebido na quinta (14/12) pelo governador Pedro Taques

Por araguaianews em abril 10, 2018

A idéia seria uma ferrovia em paralelo com a Br 158 para escoamento da produção saindo de Querência com direção a Tocantins

O diretor-executivo da gigante China Communications Construction Company (CCCC), Lin Li foi recebido na quinta (14/12) pelo governador Pedro Taques e pelo deputado Estadual Baiano Filho para discutir a possibilidade de investimentos na infraestrutura que escoará a produção de Mato Grosso.

Entre os interesses da companhia está à construção de uma ferrovia que correrá em paralelo a BR-158, no Norte Araguaia. Os trilhos irão levar a produção a partir de Querência em direção aos portos do chamado ‘Arco Norte’, com especial interesse nas exportações canalizadas pelo Porto de Palmeirante, em Tocantins, hoje considerado o maior terminal de cargas do norte brasileiro, com capacidade para movimentar 5,4 milhões de toneladas de grãos por ano.

Apesar de pouco conhecida no Brasil, a gigante é uma das maiores companhias de infraestrutura chinesa, com um faturamento anual de quase US$ 60 bilhões. Entre os planos ambiciosos para o mercado brasileiro está o fortalecimento da logística com vistas a alavancar o crescimento do corredor Centro-Norte, uma importante fronteira de produção agrícola, que engloba a região norte de Mato Grosso, e os estados do Pará, Tocantins e Maranhão.

Segundo Lin Li, o objetivo do grupo consiste em fomentar dois corredores estratégicos de exportação, sendo uma ferrovia às margens da BR-158 no Norte Araguaia e outra linha férrea, a já conhecida “Ferrogrão”, que também subirá rumo ao norte margeando a BR-163. O grupo ainda prospecta a possibilidade de explorar a hidrovia Paraguai-Paraná, na região de Cáceres.

Como representante político do Araguaia, Baiano propôs a realização de uma visita técnica do grupo à região, onde poderão conhecer in loco a capacidade produtiva do Araguaia. Pedro Taques endossou a iniciativa de Baiano e já esboçou a formação de um grupo composto por integrantes do Governo do Estado e do setor produtivo para a apresentação da região.

Com a visita ao Araguaia, o grupo coletará informações sobre a capacidade de produção, as vias de escoamento e as possibilidades de parceria publica-privada para a execução das obras. Para tanto, a China Communications pretende assinar um protocolo de intenções com o Governo de Mato Grosso ratificando o interesse de investimento da companhia no estado.

Entre os números que justificam o potencial produtivo de Mato Grosso e atrai o interesse de investidores internacionais, o governador Pedro Taques destacou a posição estratégica do estado na composição do Produto Interno Bruto (PIB), onde o estado colabora com 64% da produção nacional de algodão, 39% do milho, 33% da soja, 15% do pescado produzido em agua doce, além de contribuir com um plantel superior a 30 milhões de cabeças de gado. As projeções apontam um salto na produção de grãos, saindo de 31 milhões de toneladas de soja em 2017 para 46 milhões em 2024. Já o milho partirá de 30 milhões de toneladas em 2017 para 38 milhões também em 2024.

Também participaram do encontro com a comitiva chinesa, o diretor-executivo do Movimento Pró Logística, Edeon Vaz; o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDEC) Carlos Avalone; o presidente da Câmara de São Félix do Araguaia e também presidente da Associação de Vereadores do Norte Araguaia e Xingu (UVNAX), Antônio Miranda; a vereadora Janete Bang de Confresa, entre representantes do Governo do Estado, e outros.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *