Polícia Civil lança projeto social para ”evitar” adolescentes na criminalidade

O projeto piloto atenderá 23 alunos da Escola Pública Municipal Faustino Antônio da Silva, situada no loteamento Colinas Verdejantes, em Várzea Grande, e contemplará também as famílias dos adolescentes

Por araguaianews em abril 16, 2018

O projeto piloto atenderá 23 alunos da Escola Pública Municipal Faustino Antônio da Silva, situada no loteamento Colinas Verdejantes, em Várzea Grande.

A Polícia Judiciária Civil, através da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf-VG), lançou na sexta-feira (13.04), o projeto social “NFC – Na fita Certa”, que visa prevenir a entrada de adolescentes na criminalidade por meio do desenvolvimento de valores e práticas positivas. A proposta vem com objetivo de promover nos jovens a disciplina proporcionada pela formação desportiva, desenvolvimento do gosto por práticas artísticas, leitura, música, estudo e trabalho.

O projeto piloto atenderá 23 alunos da Escola Pública Municipal Faustino Antônio da Silva, situada no loteamento Colinas Verdejantes, em Várzea Grande, e contemplará também as famílias dos adolescentes, funcionando como uma ferramenta de intervenção social voltada para prevenção de roubos e furtos, assim como outros crimes.

Idealizado pela delegada titular da Derf-VG, Elaine Fernandes da Silva, o projeto nasceu da angústia da delegada em não de conformar ao ver crianças e adolescentes se envolvendo cada vez mais cedo na prática de roubos e furtos, quando deveriam estar na escola, estudando, praticando esportes e aprendendo a ser cidadãos.

“Em muitos casos esses adolescentes são cooptados por maiores de idade para prática de crimes. Esses menores passam a gostar da adrenalina das ações criminosas e têm a sensação de que são importantes. A ideia do projeto é fazer com que o jovem através de atitudes positivas seja protagonista da sua história, compreendendo que o mundo do crime não fará dele um vencedor”, disse a delegada.

O trabalho é realizado pela Derf-VG, em parceria com a Prefeitura Municipal de Várzea Grande, Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Delegacia Regional de Várzea Grande, Gerência de Operações Especiais (GOE), Academia de Polícia (Acadepol) e Batalhão Ambiental. O evento de lançamento contou com a parceria do Coyot Show Animação de Eventos e do Várzea Grande Shopping, que contribuiu com a parte de brinquedos e lanches para as crianças. Druante a cerimônia foram doadas bicicletas para crianças que moram longe da Escola.

O projeto será coordenado pelo investigador da Derf-VG, Renato Barros, e os jovens participantes terão a oportunidade de participar de Escolas de Artes Marciais, com aulas ministradas por policiais da Gerência de Operações Especiais (GOE), e da Escola de Futebol com aulas do professor Marcos Geleia e de mais dois policiais do Batalhão Ambiental com formação específica  na área.

As aulas de artes marciais serão realizadas em um espaço estruturado dentro da própria Escola e também nas instalações do GOE. As atividades da Escola de Futebol acontecerão no campo do Batalhão Ambiental, sendo o translado dos alunos realizado no ônibus da Academia de Polícia Civil (Acadepol).

Além do trabalho direto com os alunos, o projeto prevê oficinas e cursos profissionalizantes para os pais e adolescentes, aulas de música, teatro, pintura, dança, entre outras, realização de palestras educativas com temas variados e a instalação de uma microfábrica de serigrafia para que os matriculados possam criar a prórpria marca.

Elaine Fernandes afirma que a  estratégia é influenciar os adolescentes positivamente por meio  da instalação da microfábrica de serigrafia, que será destinada a confecção de roupas e acessórios fitness, como shorts, camisetas, bonés, luvas, com a marca NFC.

“O objetivo é que os participantes do projeto não fiquem vulneráveis ao convite de assaltantes e traficantes que incentivam os jovens a entrar na criminalidade pregando que se roubarem poderão adquirir produtos de marca e griffes famosas”, explica a delegada.

Para Elaine, é importante semear na cabeça dos adolescentes que a expressão “Fita” deve significar “Caminho”. “No projeto NFC, os adolescentes irão registrar a sua própria marca e, ainda que ‘convidados’ para ‘meterem uma fita’, ou seja, praticarem um roubo ou furto, estarão armados da compreensão de que: a expressão ‘Fita’ deve significar o caminho bom, tendo o discernimento de que deve sempre se manter: “Na fita certa – Na fita do Bem!”, reforçou a delegada.

O Lançamento contou com a presença da delegada regional de Várzea Grande, Daniela Silveira Maidel, do secretário de Educação Silvio Fidélis, da chefe de Gabinete da prefeitura municipal, Rose Prado, do Ten Comandante do Batalhão Ambiental, Cel Eduardo Costa, do superintendente de Esporte Jadir Pereira, da diretora da Escola Faustino Antônio Andréia Marques, da sub comandante da guarda municipal Cristiane, do investigador do GOE, Ojier, além dos representantes da Polícia Comunitária da PJC, Laura e Ademar, que levaram cartilhas do Programa De Cara Limpa Contra as Drogas, o qual também foi idealizado pela delegada Elaine Fernandes.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *