728X90

Naufrágio deixa 32 mortos em rio de Bangladesh

Por araguaianews em junho 29, 2020

Durante o processo de extração do barco, as equipes de resgate encontraram um homem que sobreviveu preso debaixo d’água por 13 horas

Imagem mostra corpos recuperados após naufrágio do rio Buriganga

Imagem mostra corpos recuperados após naufrágio do rio Buriganga

MONIRUL ALAM/ EFE/ 29.06.2020

O naufrágio de uma embarcação com 50 passageiros a bordo deixou pelo menos 32 mortos nesta segunda-feira (29), no rio Buriganga, perto de Daca, no centro de Bangladesh, onde um dos sobreviventes foi resgatado após passar 13 horas debaixo d’água

O navio Morning Bird tombou por volta das 10h (horário local; 1h em Brasília), depois de se chocar com outra embarcação, disse o inspetor policial Lutfar Rahman à Agência Efe.

“Salvamos um total de 32 corpos: 21 homens, oito mulheres e três crianças”, detalhou Ziaur Rahman, um oficial do Serviço de Bombeiros e Defesa Civil.

Embora o barco tenha sido encontrado, o trabalho de resgate teve de ser suspenso por causa da escuridão, e as tentativas de trazer o veículo à superfície continuarão na terça-feira.

debaixo d’água por 13 horas

Durante o processo de extração do barco, e para surpresa de muitos, as equipes de resgate encontraram um homem que tinha sobrevivido preso debaixo d’água durante cerca de 13 horas.

“Se houver um espaço vazio em qualquer compartimento, este pode ser utilizado para a sobrevivência. Quando tentávamos levantar o barco, a porta do compartimento se abriu devido à pressão e (o homem) saiu”, disse o chefe da equipe de resgate, Arif Uddin.

Mohammad Riyad, irmão de um trabalhador têxtil que morreu no acidente, disse que a maioria dos passageiros viajava de Munshiganj para Daca a trabalho.

“Os meus dois irmãos e um parente iam para Daca no barco. O meu irmão mais velho e o meu parente conseguiram nadar até a costa, mas o meu irmão mais novo, Shahin, morreu. Ele trabalhava em uma fábrica têxtil em Daca”, comentou.

Riyad disse que os trabalhadores de resgate encontraram o corpo de seu irmão no barco afundado e que ele estava segurando um bebê.

“Outros sobreviventes nos disseram que ele morreu enquanto tentava salvar o bebê”, disse Riyad ao telefone quando se dirigia para Munshiganj com o corpo de Shahin em uma ambulância.

Possível acidente premeditado

O vice-ministro de Navegação de Bangladesh, Khalid Mahmud Chowdhury, afirmou à Efe que depois de ver o incidente nas filmagens das câmeras de segurança, achou a cena premeditada e ordenou uma investigação.

“Depois de ver as imagens, me pareceu um assassinato premeditado. Formamos um comitê de peritos para investigar o acidente. Vamos esperar para obter mais detalhes assim que a investigação estiver concluída”, ressaltou.

O acidente ocorreu em um dos principais rios navegáveis do país asiático, que faz fronteira com a capital. As águas do altamente poluído rio Buriganga são a principal via navegável que liga Daca a outras partes do país.

Os acidentes nos rios navegáveis de Bangladesh têm sido relativamente frequentes, especialmente nos rios Brahmaputra, Padma e Meghna, do delta do Ganges, que são normalmente utilizados para o transporte. Na maioria dos casos, a sobrecarga e o mau estado das embarcações são as principais causas de acidentes.

De acordo com a Bangladesh Passenger Welfare Association, 219 pessoas morreram em 203 acidentes nas vias navegáveis de Bangladesh em 2019.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *