728X90

Ciência intrigada: tubarão nasce em tanque só com fêmeas há 10 anos

Mesmo se confirmado, seria o primeiro nascimento de filhotes da espécie por esse tipo de método

Por araguaianews em agosto 20, 2021

Principal hipótese é que o animal seja fruto de partenogénese, quando um clone nasce diretamente da mãe

Como esse filhote nasceu? Cientistas esperam descobrir

Como esse filhote nasceu? Cientistas esperam descobrir

MONTAGEM/NY POST

Um tubarão nasceu no tanque de um aquário italiano. O que seria apenas a rotina da vida em ação, pode ser o primeiro caso de reprodução assexuada da espécie, uma vez que no tanque vivem apenas duas fêmeas há mais de uma década.

O caso intrigante ocorreu no Acquario Cala Gonone, ba região da Sardenha, onde duas fêmeas de Mustelus (da família Triakidae) e algumas teorias preliminares já foram publicadas na mídia.

Agenzia Italia publicou que cientistas acreditam que o filhote, chamado Ispera, é na verdade o clone da mãe, fruto de um processo chamado partenogênese. Na maioria dos casos, essa técnica só ocorre de forma eventual ou por pressão ambiental — como a falta de machos disponíveis, o que pode ter sido o caso da dupla no aquário.

No momento, amostras de DNA do filhote e das fêmeas do tanque para tentar determinar se foi uma reprodução assexuada do tipo.

Como a maioria dos laboratórios do país estão ocupados de alguma forma com a pandemia global de covid-19, os resultados devem demorar um pouco.

Mesmo se confirmado, seria o primeiro nascimento de filhotes da espécie por esse tipo de método, o que foi chamado por alguns cientistas de “um avanço significativo” sobre reprodução entre vertebrados.

Caso o estudo dê negativo para partenogénese, os cientistas não terão “nenhuma outra explicação possível” sem estudos muito mais aprofundados.

Uma possibilidade mais remota apontada é que a mãe — que tem histórico de relações sexuais — pode ter armazenado DNA do esperma de algum macho, que fecundou o óvulo após anos vivendo apenas entre fêmeas.

Método relativamente comum

Nas últimas décadas, cientistas mostraram que a partenogénese é bem possível entre espécies vertebradas.

Partos do tipo foram identificados entre dragões-de-komodo (2006) e tubarões-martelo (2007), por exemplo.

Em plantas e insetos, a partenogénese é ainda mais comum, sendo o caso mais famoso o das abelhas.

Na partenogénese, os filhotes são geneticamente idênticos aos pais, uma vez que não recebem DNA de um parceiro.

Em um dos métodos, uma célula-ovo ainda não maturada fertiliza o óvulo, de forma bem parecida com um espermatozóide comum.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 Comentário

  • Apos passar anos separada de um macho, uma femea de tubarao desenvolveu a habilidade de se reproduzir sozinha.  O caso intrigou a cientista Christine Dudgeon, da Universidade de Queensland, na Australia. Em estudo publicado no periodico