728X90

Conheça os alimentos que podem atenuar os incômodos da TPM

Isso vai influenciar nos receptores hormonais

Por araguaianews em agosto 14, 2021

Conheça os alimentos que podem atenuar os incômodos do período de Tensão Pré-Menstrual

 

• Alimentação também pode atrapalhar o sono

• Boa alimentação: saiba como fortalecer as células do sangue

• Coloque mais verde no prato para uma alimentação saudável e balanceada

• Alimentação é aliada contra o câncer

A Tensão Pré-Menstrual (TPM) faz parte do ciclo natural do corpo feminino. Parte das mulheres sente seus efeitos de maneira leve, enquanto outras relatam momentos de profundo desgaste emocional, inchaço, cólicas, dor de cabeça, fadiga, entre outros incômodos por todo o corpo. Processo que se repete geralmente entre a ovulação e um período menstrual, mas que não precisa ser “vivido” tão inten­samente, quando se ha uma preocupação com os hábitos de vida, incluindo a boa alimentação.

Mas, para início de conversa, vale entender o que todo esse processo hormonal significa. “Estamos falando da época no mês em que o corpo sofre com uma grande flutuação hormonal. Temos o estrógeno, a progesterona e a testosterona variando para cada mulher. Umas sofrem mais que outras por questões genéticas. Você pode ter gens que não metabolizam bem. Além disso, você pode ter, por exemplo, qualquer desiquilíbrio no micromioma, que é o universo de bichinhos do bem e do mal, que habitam o nosso intestino, porque, por anos, usou anticoncepcional ou anti-inflamatórios. E Isso vai influenciar nos receptores hormonais”, explica a médica homeopata Diana Campos, especialista em medicina integrativa

Controle a alimentação

A rotina à mesa é outro grande influenciador. Ainda mais quando há o consumo exagerado de alimentos industrializados. “Todo mundo está pecando por comer produtos assim, tão ricos em sal e corante. Isso faz o fígado acumular mais toxinas e o corpo a inchar mais. Quando temos o inchaço, os efeitos se estendem também para o nosso cérebro, impactando na cognição, aflorando a depressão, o choro fácil e uma gama de sintomas que variam de acordo com a nossa genética e modo de viver”, completa a especialista. Também favorecem a inflamação as frituras, o óleo de canola e a gordura hidrogenada.

Isso sem falar na contaminação cruzada a partir do consumo de animais que se alimentaram de grãos como a soja. Para a médica Diana, este é um item facilmente contaminado por agrotóxico e bastante utilizado no cardápio de gados e frango.

O que consumir?

As fibras estão nos alimentos integrais e ajudam o organismo a desintoxicar e a manter a glicemia (açúcar no sangue) estável. “Dessa maneira não sentimos vontade de beliscar o dia todo”, reforça a nutricionista fabiana Freire, coordenadora UNIFG. Ela também destaca o consumo de ômega 3 para manter o bom humor. “Os peixes de água fria, como salmão, arenque e atum, além de óleo de linhaça, são ricos em ômega 3, uma gordura que tem propriedades antiinflamatórias”, completa.

Outra dica é: inclua oleaginosas no cardápio. Leia-se nozes, castanhas, amêndoa e pistaches, que são alimentos ricos em gordura poliinsaturada, responsáveis por também combater a inflamação. “Mas não exagere, pois eles são calóricos”, finaliza.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *