728X90

Mauro Mendes afirma que plebiscito não tem valor jurídico e volta a chamar VLT de “filho da corrupção”

Por araguaianews em maio 31, 2021

Depois de argumentar que o plebiscito sobre a escolha do modal de transporte para Cuiabá e Várzea Grande, ou seja, VLT ou BRT, como pretende o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), não tem qualquer valor jurídico, o governador Mauro Mendes afirmou ter certeza de que o BRT é a melhor opção.

“O governo de Mato Grosso colocou tecnicamente todos os argumentos, temos muita tranquilidade, custa mais barato, é tão eficiente quanto. Aliás, eu tenho convicção de que o BRT é melhor”, disse Mendes durante o lançamento de mais uma etapa da Operação Amazônia, no Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental (BPMPA), localizado no Parque Mãe Bonifácia, em Cuiabá, nesta segunda-feira (31).

Mendes disse que “segundo me informou a assessoria jurídica do governo, que é a PGE, isso não tem valor jurídico nenhum. Para ter alguma legalidade teria que ser feito um plebiscito no Estado inteiro. Se a Prefeitura conduzir o plebiscito no Estado inteiro, e pagar por isso, pode ser que até tenha algum valor”, acrescentou.

Sobre a definição por BRT, o governador disse que “nós já temos a aprovação, o Conselho de Desenvolvimento da região metropolitana já aprovou isso. Eles ficam aí esperneando, gastando dinheiro público que não vai produzir nenhum resultado. É lamentável isso, é jogar dinheiro público na lata do lixo”, disse.

“Eu já falei muitas vezes, esse VLT nasceu pela corrupção. Ele nasceu na falsificação de documentos, ele cresceu na corrupção. E nós entendemos, então esse filho da corrupção está sendo alimentado pela Prefeitura de Cuiabá. O porquê disso? Qual o interesse disso, o que está por trás disso. É importante que se questione isso”, completou.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *