728X90

Segurança da seleção do Uruguai é preso em flagrante por assédio e importunação sexual em hotel de Cuiabá

Um segurança da seleção uruguaia foi preso na madrugada desta segunda-feira (21) acusado de importunação e assédio sexual

Por araguaianews em junho 21, 2021

De acordo com o boletim de ocorrência, crime teria ocorrido no segundo anda do hotel onde a delegação está hospedada

Um segurança da seleção uruguaia foi preso na madrugada desta segunda-feira (21) acusado de importunação e assédio sexual. De acordo com informações da Polícia Militar, Harold Ferreira Roldos Ferreira, de 45 anos, atentou contra  uma mulher de 46 anos que atua como segurança da Conmebol, responsável pela organização da Copa América.

O crime ocorreu no segundo andar do hotel Deville, em Cuiabá, onde a seleção do Uruguai está hospedada desde o final de semana, para a disputa de jogos da Copa America. Os uruguaios enfrentam o Chile hoje às 17 horas na Arena Pantanal.

A ocorrência foi atendida por policiais militares que estavam na base em frente ao hotel por volta das 1h após serem acionados pela gerência do estabelecimento. Lá dentro, encontraram o chefe de segurança e a vítima, que narrou ter sido vítima de assédio e importunação sexual.

Segundo ela, no horário das 22h, estava no 2º andar do hotel quando o suspeito, que é uruguaio e responsável pela segurança da delegação, passou por ela e cumprimentou.

Em seguida, começou assediar a mulher. A conversa começou com perguntas sobre o horário de trabalho dela, o valor que ganhava. Do nada, o suspeito pediu um beijo e, em seguida, colocou uma quantia não específicada em dólar no banco onde ela estava sentada. “Mesmo negando, ele tirou outro dólar e colocou no bolso do jaleco da servidora. Enquanto isso, os seguranças do hotel flagravam o assédio pela câmera de segurança”, narra o boletim de ocorrência.

Em determinado momento, ela foi segurada pelos braços e os seguranças chegaram ao local para intervir na situação. Quando eles chegaram, o uruguaio já tinha ido para o seu quarto. PM foi até o quarto do suspeito, que foi preso e encaminhado para a Central de Flagrantes.

Durante depoimento, o suspeito negou o ato de assédio, informou que estava apenas conversando sobre família. Disse ainda que usava o celular para traduzir a conversa e que a questionou sobre o quanto ganhava. Também disse que deu 10 dólares para a mulher, que recusou. Em seguida, afirmou que deu mais 10 dólares.

Advogado acompanhou o suspeito e ficou responsável por seus documentos pessoas. A reportagem não conseguiu confirmar se o homem segue preso.

Fonte: www.odocumento.com.br

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *