23 C
Alto Araguaia
sexta-feira - 12 abril - 2024
HomeMato GrossoSuinocultores mato-grossenses têm 20 mil animais a menos e pedem redução do...

Suinocultores mato-grossenses têm 20 mil animais a menos e pedem redução do ICMS em até 90%

Redução do imposto é apontada como alternativa para a classe superar a crise

Amargando prejuízos há quase dois anos, Mato Grosso perdeu mais de 20 mil matrizes como tentativa dos suinocultores equilibrar os custos da produção com o preço pago ao produtor pelo quilo do suíno vivo. Conforme a Associação dos Criadores de Suínos no Estado (Acrismat) quem não reduziu os planteis, estão abandonando a atividade.

Para sair da crise, eles apontam que a saída é a alteração no valor do crédito presumido do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nas operações de envio de animais para serem abatidos fora das fronteiras do Estado de 50% para até 90% no Programa de Desenvolvimento Rural de Mato Grosso (Proder).

O diretor-executivo da Acrismat, Custódio Rodrigues afirma que em outros estados brasileiros os suinocultores recebem incentivos dos governos estaduais. Em Rondônia, por exemplo, um decreto governamental reduziu significativamente a carga tributária de ICMS, que caiu de 12% para 2% para a atividade, com o objetivo de fomentar a produção de carne e miúdos de suínos.

“Rondônia é um mercado que recebe carne suína do nosso Estado e a suinocultura deles não tem muita expressão no cenário nacional. Ainda assim, o governo de Rondônia reduziu em 600% a carga do ICMS na atividade. Esperamos que nossos governantes se atentem a nossa situação e atenda o mais rápido possível essa nossa solicitação, que sem dúvida vai contribuir para a manutenção da atividade que tanto contribui para o desenvolvimento de Mato Grosso”.

No dia 10 de maio, a Acrismat já havia pedido socorro para Assembleia Legislativa para debater medidas para diminuir a crise do setor, que emprega mais de 20 mil famílias no estado. Cinco meses depois, ainda nada foi resolvido. Os produtores aguardam o pleito ser debatido no Conselho Deliberativo dos Programas de Desenvolvimento de Mato Grosso (Condeprodemat), presidido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec).

OUTRAS NOTÍCIAS