22.7 C
Alto Araguaia
sexta-feira - 12 abril - 2024
HomePolíticaWS lembra “ponte da confusão” e quer intermediador entre Emanuel e Mauro...

WS lembra “ponte da confusão” e quer intermediador entre Emanuel e Mauro para findar ‘guerra’ do BRT

Wilson Santos vê conflito entre gestores municipal e estadual como problema para avanço do BRT em Cuiabá

Conteúdo/ODOC – O deputado estadual Wilson Santos (PSD), em reunião na Assembleia Legislativa com os empresários de Várzea Grande, da Avenida da FEB, que discutiu as obras do BRT na via, nesta terça-feira (15), afirmou que ao contrário da cidade vizinha, em Cuiabá a “guerra” do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), contra o BRT está declarada. A reunião teve a participação de técnicos do Governo do Estado.

Durante fala na reunião, o prefeito disse que “aqui em Cuiabá já está declarada a guerra do prefeito Emanuel Pinheiro ao modal BRT. Vocês vão repetir o mesmo procedimento em Cuiabá que estão fazendo em Várzea Grande (?)…Não há um articulador político do governo que possa sentar antecipadamente com a Prefeitura de Cuiabá e antecipar esse conflito que está anunciado?”, argumentou o parlamentar.

Segundo Wilson Santos, “o prefeito Emanuel Pinheiro já disse que vai colocar três mil pessoas deitadas na avenida XV de Novembro para o governo prender todas elas. Não vai deixar um centímetro da obra entrar em Cuiabá. Já anunciou, vários veículos de comunicação disseram isso. Vai esperar o conflito? Não vai dialogar com a Prefeitura de Cuiabá?”, questionou Santos.

“Porque não basta mandar ofício, tem que ir além. Tem que ter alguém, respeitado, com credibilidade, que procure o prefeito da Capital, que procure a Câmara Municipal, que sente humildemente para evitar uma notícia que vai virar nacional e internacional”, disse Wilson Santos.

Conforme o parlamentar, “isso é a repetição do que aconteceu aqui no Estado, no final da década de 1950, o episódio que ficou conhecido como “A ponte da confusão”. Governava Cuiabá, José Garcia Neto, era prefeito, da UDN, governava Mato Grosso, João Ponce de Arruda, PSD. Por causa de uma ponte de menos de vinte metros, lá no Baú, o prefeito mandou fazer a ponte e o governador falou não faz. Quando o prefeito mandou os pedreiros para lá o governador mandou a Polícia Militar”, recordou.

“Vai repetir a ponte da confusão (?)…, é um apelo que estamos fazendo, não esperem. Não esperem anunciar essa guerra, procurem articuladores com credibilidade entre os dois governantes para evitar, porque o prefeito está preparado para impedir porque ele tem outra visão, de quem manda no município é a municipalidade e que o VLT é melhor do que o BRT”.

Fonte: O Documento

OUTRAS NOTÍCIAS